27/09/2011

Avatar

Cestinha de caramelo

Cestinha de caramelo


               Esta madrugada perdi o sono!
               Eram 3 h da manhã e, depois de "fritar" na cama, resolvi ir para a cozinha fazer arte culinaria.
               E fiz arte mesmo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
               Talvez por causa da hora, me descuidei da clada de açúcar, ai já viu, né? Um quase desastre.
               Digo quase, porque eu não pretendia comer mesmo o caramelo.
               E não "tô tirando onda, não".
               Realmente eu queria experimentar a receita da cobertura da Torta Regina para fazer cestinhas para sorvete.
              Já tinha visto algumas cestinhas de caramelo, mas delicadas como a da Torta Regina, não.
              Então resolvi testar.

             Quero responder a algumas perguntas:

             1- É realmente fácil fazer as cestinhas usando um garfo comum de cozinha?
             2- Desenformam fácil, já que são feitas de fios finíssimos de caramelo?
             3- Qual a durabilidade das cestinhas depois de prontas?
             4- Qual a quantidade de açúcar para fazer 6 cestinhas?
             5- É necessario mesmo acrescentar glucose para preparar o caramelo?


             De cara, já cometi um erro gravíssimo. Coloquei a calda de açúcar no fogo e fui fazer outras coisas.
             Só me lembrei da calda quando uma fumaça preta tomava conta de toda cozinha.
             Como a boca da gente fica amarga ao inalarmos a fumaça de caramelo queimado.
             Mas, como eu estava usando uma quantidade media de açúcar e estava fazendo testes, resolvi fazer as cestinhas mesmo assim.
            Gentem!!!!!!!!!!!! A cor ficou maravilhosa!!!!!!!!!!!!!!!!! Mas altamente tóxica e impropria para o consumo.
             Mesmo assim, respondi pelo menos duas perguntas:

            4- Para 6 cestinhas, use 350 g de açúcar.
            5- A glucose é dispensável. Ela dá mais resistencia às cestinhas, o caramelo demora mais para "derreter". Mas se você não tiver glucose, faça a calda só com açúcar e água.


           Vejam a diferença de cor entre o caramelo queimado e improprio e o caramelo no ponto certo.
           A cestinha 1, naturalmente, é a impropria para consumo, a 2 é a certa:

Cestinha de caramelo

              Parecem ninhos de passarinhos!

              Ingredientes:

              - 350 g de açúcar refinado;
              - 150 ml de água.

              Misture tudo e leve ao fogo.
              Não mexa mais, para não açucarar.
              Deixe no fogo até chegar à cor de guaraná.

              Veja a imagem 1 da foto abaixo. Quando o caramelo chegar neste tom, retire a panela do fogo.
              O caramelo vai escurecer um pouco mais depois de retirado do fogo.

Cestinha de caramelo


              Forre potinhos de sobremesa com papél aluminio e unte o aluminio com margarina.
              Aguarde alguns minutinhos, para a calda esfriar um pouco.
              Mergulhe o garfo na calda e quando começarem a se formar fios finos a partir da ponta dos dentes do garfo, já está no ponto para trabalhar.
              Se a calda estiver muito quente, ela escorre do garfo, caindo na panela, sem formar fios.

              Testado o ponto da calda, apoie o potinho em um prato e este prato sobre um pote que você possa girar. Ou sobre uma bailarina, se você for confeiteira.
             Mergulhe o garfo na calda, puxe até começar a formar um fio longo e faça movimentos de vai-e-vem, sobre o potinho de sobremesa. Mantenha uns 3 a 5 cm de distancia entre o garfo e o potinho.
            Quanto mais próximo o garfo ficar do potinho, maiores as chances de se formarem fios grossos.
            No topo do potinho faça movimentos de vai-e-vem, e na lateral, faça movimentos circulares, fazendo camadas sobre camadas de fios dourados.

Cestinha de caramelo

              Quando a calda começar a esfriar, naturalmente vai endurecer.
              Torne a levar ao fogo, mas não deixe derreter toda a calda, porque o açúcar pode "queimar" e passar do ponto.
              Aqueça até as bordas amolecerem, retire do fogo e mexa com o garfo para que o restante da calda aqueça e volte a ficar maleável.
              Continue trabalhando até a cestinha ficar na espessura desejada.
              Leve à geladeira por 2' ou 3' e desenforme.

Cestinha de caramelo


              Você pode fazer "canaletas" de caramelo, forrando um cilindro ou uma taça de vidro e fazendo uma "teia" de caramelo até a metade da taça.

Cestinha de caramelo


              Ou faça placas de fios de caramelo e use-as como decoração de bolos e/ou sorvete.
              Estas placas podem até ser cortadas com uma tesoura separada para este fim, faze/do folhas ou pétalas.

Cestinha de caramelo

              Só não deixe a calda esfriar totalmente antes de preparar todas as peças que você pretende preparar. O risco de perder o ponto é muito maior se você deixar o caramelo endurecer.
              Então, quando o garfo puxar uma quantidade muito grande de calda, mas formar um fio muito curto, já é hora de dar uma aquecidinha de leve.
              As respostas das 3 perguntas que faltam?
              Sim e sim, para as duas primeiras. A 3ª eu repondo dentro de alguns dias. Minhas cestinhas estão guardadas.
              Doces carameladas não costumam durar muitos dias, não.
              Mas as cestinhas estão vazias. É claro que o açúcar começa a derreter logo, mas bem guardadas, longe da umidade, vão durar um pouco mais. Aguardem!

    Observação: as cestinhas duraram 2 meses, se guardadas  na geladeira e em potes bem fechados.
     Para ver outras receitas de arte culinaria acesse o Índice 2 (bolos e complementos) ou o Índice 3.
Avatar

Torta Regina


              Esta torta é ESPETACULAR!
              Com certeza é muito trabalhosa e quando a vi, na tv pela primeira vez, decidi que um dia iria fazer.
              Já vi 2 ou 3 culinaristas ensinando a fazê-la, mas destaco a Serafina Checo que, se não me falha a memoria, foi a primeira que eu vi. E o link para meu caderno real, ainda não é possível, rsrsrs.
              Ah! E se você quiser assistir ao video acesse "Mais Você", que é o melhor passo-a-passo dos que já vi até agora.




Para fazer a cobertura desta torta é necessario um pente especial chamado simplesmente de "Pente para Torta Regina", mas a foto mostra um modelo que pode ser feito em casa, usando 2 placas de 12 cm de madeira com 36 pregos de aço, para não oxidar, pregados em 6 colunas e 6 linhas.

Mas há os que improvisam com garfos. Levará muito mais tempo para terminar a cobertura, mas se você quiser aproveitar a ideia para fazer casulos de caramelo para doces ou mini tortas, vale a pena experimentar.



Outros modelos de pentes:






              Receita

              Carolinas:

              - 1 xícara (das de chá) de água;
              - 100 g de margarina;
              - 1 xícara (das de chá) de farinha de trigo;
              - 5 ovos;
              - 500 g de chantilly.

              Em uma panela, coloque a água e a margarina. Deixe ferver.
              Quando ferver, acrescente a farinha de uma só vez, mexendo até que forme uma massa que solte do fundo da panela.
              Coloque na batedeira e acrescente os ovos, 1 a 1, sem para de bater até formar uma massa firme, mas que possa ser colocada em um saco de confeitar.
              Com bico perlê grande, modele as Carolinas em uma assadeira untada.
              Leve ao forno preaquecido, 200º, por 30'.
              Deixe esfriar e recheie com o chantilly, usando um saco de confeitar com bico perlê pequeno.
              Reserve.

Receitas de todos nós
              Massa:

              - 500 ml de claras (± 9 ovos);
              - 225 g de açúcar;
              - 225 g de farinha de trigo.

              Bata os ovos com o açúcar por 10', velocidade media.
              Diminua a velocidade e acrescente a farinha de trigo, aos poucos.
              Bata para homogeneizar.
              Coloque em uma assadeira 26 Ø, com 8 de altura, untada e leve para assar, forno 180º, por 40' ±.
              Deixe esfriar e corte 5 camadas.
              Monte a torta, sobre um disco de papelão, alternando camadas de bolo e recheio.
              Com uma faca longo, espalhe o recheio que for saindo na lateral do bolo, aplicando-o em toda lateral.
              Arrume as Carolinas no alto do bolo e comece a fazer a "teia" de caramelo.


Receitas de todos nós

              Apoie a torta sobre uma bailarina ou sobre um suporte que você possa girar,
              Retire a panela com caramelo do fogo e aguarde alguns minutos para baixar a fervura.
              Mergulhe o pente para fazer os fios na calda, suspenda-o sobre a panela para que os primeiros pingos grossos caiam dentro, e, note que já se formam fios, passe o pente a certa altura do bolo, fazendo movimevtos de "vai e vem" sobre o bolo, inclusive perpendicularmente, inclinando o pente e deixando-o paralelo ao bolo.
              Vá ajeitando, com a mão livre, os fios sobre o bolo.
              Quando os fios começarem a quebrar, torne a mergulhar o pente na calda e repita todo o processo.
              Se a calda esfriar demais e já não formar os fios, torne a colocar a panela no fogo, baixíssimo, apenas para aquecer o caramelo.
              Muito cuidado para não aquecer demais, porque o açúcar continua aquecendo mesmo fora do fogo e pode escurecer e ficar amargo. E o que é pior, nocivo à saude.
             Continue fazendo fios até cobrir todo bolo e formar uma camada grossa e brilhante.
             Corte o excesso de fios na borda inferior do bolo e passe para um prato de bolo.

Receitas de todos nós
              Caramelo:

              - 750 g de açúcar;
              - 250 ml de água;
              - 150 g de glucose.

              Misture tudo leve ao fogo e não mexa mais, para não açucarar.
              Se açucarar não serve mais para nenhum tipo de calda.
              Deixe a calda no fogo, até chegar na cor de mel.


Receitas de todos nós

Receitas de todos nós

              Recheio:

              - 1 lata de leite condensado;
              - 2 latas (medida) de leite;
              - 4 gemas peneiradas;
              - 4 colheres (das de sopa) de maizena ou 3 de farinha de trigo;
              - essencia de baunilha a gosto;
              - 1 lata de creme de leite a gosto.

              Em uma panela, coloque o leite condensado, o leite, as gemas e a maizena e leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar.
              Retire do fogo e acrescente a essencia e o creme de leite, misture.
              Ou escolha outra receita de creme de confeiteiro.

     Para ver outras receitas de bolos, molhos, caldas e coberturas acesse o Índice 2.
Receitas de todos nós

17/09/2011

Avatar

Pão de torresmo



              Resolvi aprender a fazer torresmo para preparar este pão, que é um dos preferidos de parte da familia. Ainda bem que existem recursos para diminuir o colesterol, rsrsrs.
              E, graças a Deus, a familia procura se cuidar. Na maior parte do tempo, pelo menos.
              Mas, preparando este tipo de receitas eventualmente e consumindo aveia e berinjelas regularmente, não há problemas.
             O ideal é comer para viver e viver feliz! E não viver para comer!



             Receita 1:

             - 45 g de fermento biológico fresco;
             - 1 colher (das de sopa) de açúcar;
             - 1 colher (das de sobremesa) de sal;
             - 2 ovos;
             - 1 colher (das de sopa) de banha;
             - ± 500 ml de água;
             - 1 kg de farinha de trigo;
             - 500 g de torresmo.

            Dissolva o fermento no açúcar e misture um pouco de farinha.
            Cubra com um plástico e deixe descansar por 15'.
            Coloque a farinha restante em uma bacia ou bancada, misture o sal e acrescente os ovos, a banha e o fermento.
            Comece a misturar e a acrescentar a água, amassando até conseguir uma massa lisa e macia.
            Sove por ± 20'.
            Deixe descansar por 1 h.
            Abra com um rolo, formato retangular e longo, pincele banha e espalhe os torresmos.
            Comece a enrolar, puxando e torcendo esta tira comprida.

Pão de torresmo

               Dobre, formando uma rosca, e encaixe uma das pontas dentro da outra.
               Deixe descansar por 30', novamente.
               Pincele 1 ovo batido e pressione mais torresmo.
               Leve para assar, até dourar.



               Receita 2:

               - 500 g de farinha de trigo;
               - 30 g de fermento biológico fresco;
               - 1 colher (das de sopa) de sal;
               - 1 colher (das de sobremesa) de açúcar;
               - 50 g de banha;
               - 200 ml de água;
               - 300 g de torresmo.

              Prepare como a receita anterior.

     Para ver outras receitas de pães acesse o Índice 7.

12/09/2011

Avatar

Pão Recife - de chocolate


Pão Recife - de chocolate
      
              Esta é uma receita que vem lá da minha infancia. Ou melhor, o pão é da minha infancia, mas a receita levei anos para conseguir chegar à receita mais parecida com o pão de minha infancia.
              E pela reação da mina familia, consegui !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
              Somos todos apaixonados por chocolate e, na minha infancia, morei em um bairro vizinho à outro bairro onde era vendido o tal pão Recife.
              Este pão era vendido por quilo, eles faziam um pão enorme, forma grande, eu acho que era quase o dobro de um pão de forma industrial. E era uma delicia.
              Quando tive meus filhos, cheguei a comprar deste pão para eles, mas, recentemente descobri que a tal padaria fechou as portas. Não sei se mudaram de endereço, fazem anos que não vou ao Rio de Janeiro, e também não conheci outra padaria que vendesse o tal pão Recife.
              Meu pai comprava frequentemente um belo pedaço deste pão, mas havia uma ocasião em que ele comprava este pão como consolação: quando íamos tomar nossas vacinas obrigatorias.
              A padaria onde este pão era vendido ficava no mesmo quarteirão de um grande hospital e anexo ao hospital, o posto de saude onde as vacinas eram aplicadas.
             Em uma esquina debulhávamo-nos em lágrimas. Na outra, os sorrisos voltavam ao nosso rosto.
             Acho que papai sofria mais do que nós com as "agulhadas" tão necessarias!
             Fazer o que, né? Consolar...




              Em geral, pães doces precisam ser mais sovados do que os pães salgados, se não eles ficam parecendo bolos. E este pão de chocolate precisa ser mais sovado ainda.
              Quando eu pus à prova a receita, no natal a 4 anos atrás, eu fiz 11 formas grandes e 11 formas pequenas. Foi meu presente de natal para meus pais e cada um dos meus irmãos, além daqueles que fiz para consumirmos durante as festas.
              A opinião deles é muito importante para mim. E neste caso muito mais importante, porque eu precisava de pessoas que tivessem conhecido e apreciado a receita original tanto, quanto eu, para me dizerem se eu tinha acertado.
              E com tamanha fornada, posso dizer com certeza, este pão precisa ser muuuuuuuuuuiiiiito sovado!
              Cada receita, com 1 kg de farinha, eu sovei por pelo menos 50'.
              Uma das receitas eu sovei por menos tempo e ficou realmente parecendo bolo.
              Para amenizar isso, se você tiver uma planetaria potente, sove a massa com o gancho de massa pesada por ± 20' e termine de sovar à mão por mais 30'.
              Mas sove muuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiiiito!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

              Cometi o erro de não anotar o rendimento de cada massa, mas se não me falha a memoria, cada receita rende 2 formas de 28 x 11 (tipo bolo inglês) + 1 de 20 x 9.
              As formas que tenho são aquelas vendidas em jogo de 3 = 20 x 9, 24 x 10 e 28 x 11.

              Vamos à receita!
              Ah! Se alguém conhece o pão Recife e sabe de alguma padaria que venda ainda hoje, mande-me o endereço.
              Valeu!!!!



Pão Recife - de chocolate
              Massa:

              - 1 kg de farinha de trigo;
              - 200 g de açúcar;
              - 1 colher (das de sopa) de sal;
              - 10 gemas + 3 ovos inteiros;
              - 300 ml de leite;
              - 200 g de manteiga em cubinhos;
              - 1 colher (das de sopa) de banha de porco ou de gordura de coco;
              - 150 g de fermento biológico fresco, sendo que, reserve 20 g ± para acrescentar na massa de chocolate, já que é uma massa mais pesada;
              - 1 xícara (das de chá) de cacau em pó.

              Dissolva 100 g de fermento no açúcar e misture 1 xícara, das de chá de farinha de trigo.

Pão Recife - de chocolate

              Misture o sal na farinha restante, peneriando para que o sal fique bem distribuido.
              Junte a esponja de fermento.
              Coloque as gemas e os ovos inteiros no centro da farinha e comece a misturar, acrescente o leite e a manteiga.
              Sove por 50', espalhando e juntando a massa, raspando com uma espátula da bancada e sem espremer a massa entre as mãos.
              Faça movimentos com a mão espalmada. Para entender melhor acesse Segredos para fazer um pão perfeito.
              Depois de 30' a 35', você já vai sentir a massa bem mais leve e fácil de manipular.
              E já crescendo.
              Divida em 3 porções. Reserve 2 partes e trabalhe a terceira.
              Dissolva os 20 g de fermento restantes em 1 colher, das de sobremesa de açúcar e coloque em 1/3 da massa, acrescentando o cacau em pó.
              Não precisa dissolver o cacau em pó. Aliás, é melhor não dissolver, já que você vai saber que a massa de chocolate está no ponto, quando todo o cacau tiver sido absorvido pela massa, ficando com a cor uniforme de chocolate.
               Divida cada massa, tanto a branca, quanto a de chocolate, em 3 porções.
               Abra com um rolo, no formato retangular.
               1- Sobreponha a massa de chocolate na ponta da massa branca.
               2- Dobre a massa branca sobre a de chocolate e termine de enrolar, fazendo um rocambole.
               3- Coloque o rocambole nas formas untadas e enfarinhadas e deixe crescer até ultrapassar a forma.
               Fiz metade da receita para as fotos do passo-a-passo.

           Se você enrolou como rocambole, a massa vai crescer perfeita para o alto, mesmo crua não vai transbordar pelas laterais, mas se você apenas colocar a massa, como se fosse massa de bolo, sem enrolar você tenha 100% de certeza de que a massa vai transbordar pelas laterais e cair no piso do forno.

               Eu deixo a massa crescer dentro do forno, desligado.

Pão Recife - de chocolate

               Quando a massa crescer, retire as formas do forno, deixando-as abrigadas de correntes de ar, ligue o forno e deixe aquecer por 10', abaixe a chama, coloque as formas e deixe assar até dourar bem.
                Não precisa pincelar nada porque a quantidade de açúcar da massa vai fazer com que ela fique dourada e brilhante.
                Retire os pães do forno, retire-os das formas e apoie-os sobre uma grade para que a umidade evapore. Deixe esfriar e ensaque em sacos plásticos.
                Mesmo os pães que serão consumidos em casa, eu guardo em sacos plásticos para evitar que ressequem.

              Se quiser saber como congelar as claras leia aqui.
              Se quiser saber mais dicas sobre a confecção de pães, leia aqui.
              Para ver outras receitas de pães acesse o Índice 7

10/09/2011

Avatar

Recheio de chocolate para canudinhos



              Ingredientes:

              - 285 g de chocolate ao leite ou meio amargo;
              - 55 g de manteiga;
              - 6 gemas;
              - 55 g de açúcar;
              - 500 ml de chantilly.

              Leve o chocolate e a manteiga ao fogo, em banho-maria, até derreterem e homogeneizarem. Reserve.
              Bata as gemas com o açúcar, com um fouet, em banho-maria, até cozinharem. Reserve.
              Prepare o chantilly.
              Misture as 3 preparações e coloque em saco de confeitar.
              Recheie os cones ou cilindros de massa.



             Se gostar, derreta e tempere chocolate ao leite ou meio amargo e banhe os canudinhos.
             Deixe secar sobre papél aluminio.

             Use para rechear canudinhos de biscoito para sorvete ou canudinhos fritos ou assados.

     Para ver outras receitas de recheios acesse o Índice 2.
     Para ver outras receitas com chocolate acesse o Índice 3.

Avatar

Biscoito da sorte



               Massa:

               - 75 g de farinha de trigo;
               - 2 claras;
               - 75 g de manteiga;
               - 115 g de açúcar de confeiteiro.

               Misture a farinha, a manteiga e o açúcar.
               Acrescente as claras e mexa até homogeneizar.
               Leve para gelar por 2 h.
               Com esta massa, pode-se fazer cones e cestinhas para sorvete, triângulos, discos, biscoitos da sorte.
               Hoje existem moldes vazados de silicone proprios para isso, mas se em tua cidade não existem lojas especializadas em confeitaria, use folhas de acetato, encontraveis em qualquer papelaria, e prepare os teus proprios moldes.
               Até em papelão paraná ou caixa de filtro de café é possível fazer moldes, mas a vida útil e a higiene são menores.




              Para fazer os biscoitos da sorte, faça círculos com 5 Ø e para fazer casquinhas ou cestinhas, faça círculos com 13 Ø ou 15 Ø.

Biscoito da sorte

              Os triângulos, como servirão para decoração ou complementos, podem ser feitos no tamanho que você imaginar.

Biscoito da sorte


              Feitos os moldes, retire a massa da geladeira, emborque uma assadeira, apoie o molde vazado na assadeira espalhando a massa com auxilio de uma espátula.
              Retire o molde, leve para assar entre 5' e 7', no máximo, a 200º.
              Quando começar a borbulhar, vai começar a dourar nas bordas.
              Procure não deixar dourar demais, senão não é possível modelar.
              Solte com uma espátula e já comece a modelar.

              Se estiver fazendo biscoitos da sorte, prepare os papeizinhos com antecedencia.
              Além de proverbios, você pode colocar "prendas" ou pequenas tarefas que os convidados de alguma festa terão que realizar.
              Uma boa ideia para despedidas de solteiro ou chá de panela.




              E como esfriam rápido, prepare e modele pequenas quantidades de cada vez.
Biscoito da sorte

         Ou prepare alguns copinhos, que podem ser os que você já tem em casa, de vidro, ou, se a quantidade de biscoitos for grande, use copos descartaveis.

         1- Pegue um disco de massa e coloque um papelzinho no centro.
         2- Dobre, envolvendo o papelzinho.
         3 e 4- Com o dedo, delicadamente, vergue o centro, curvando.
         5- Segure as duas pontas até esfriar ou apoie em um copo e deixe esfriar.

              Para fazer cestinhas, apoie o círculo em tigelinhas de sobremesa, ajeitando o babadinho que vai se formar naturalmente. Deixe esfriar.

              Para fazer cones, simplesmente enrole o círculo ou use um cone de aluminio como forma.

              Para fazer aqueles rolinhos que decoram taças de sorvete, faça um molde vazado com retângulos de 15 x 4 cm ±, faça os biscoitinhos e enrole com o auxilio de um palito de churrasco.

             Ou faça quadrados de 15 x 15 e enrole em cilindros de aluminio.

Biscoito da sorte

               Mais uma receita para se fazer em familia, a criançada certamente vai amar modelar os biscoitinhos.
               Faça da vida uma grande festa e convide familiares e amigos.

                                                                       E boa sorte!

     Para ver outras receitas de biscoitos acesse o Índice 7.


Avatar

Massas básicas de macarrão



              Mais algumas receitas para se ter à mão.
              São receitas para aqueles momentos especiais, de ferias, festas ou feriados, quando a criançada está por perto e queremos criar vínculos mais fortes e lembranças para toda a vida.



               Receita 1:

               Massa branca:

               - 250 g de farinha de trigo;
               - 1 colher (das de chá) de oleo;
               - 3 ovos;
               - sal a gosto.

               Misture até formar uma massa lisa.
               Passe pelo rolo de massas, dobre e torne a passar pelo rolo mais algumas vezes, deixando em uma espessura fina.
               Corte nos modelos desejados, com auxilio de carretilhas, cortadores ou mesmo de cilindro de massa.

               - Para deixar a massa verde: misture meio maço de espinafre cozido, batido no liquidificador com os ovos e o oleo. Misture-o à farinha e ao sal.
               - Para deixar a massa vermelha, substitua o espinafre por 1 beterraba media cozida e liquidificada.





               Receita 2:

               - 6 ovos;
               - 1 colher (das de sopa) de sal;
               - 2 colheres (das de sopa) de oleo;
               - 1/2 copo (tipo requeijão) de água;
               - ± 1 kg de farinha de trigo.

                Bata os ovos com o sal, o oleo e a água no liquidificador.
                Coloque 2/3 da farinha em uma bacia e despeje os ingredientes líquidos.
                Comece a misturar e a amassar, acrescentando mais farinha até dar ponto.
                Abra com um rolo ou com um cilindro e recorte no modelo adequado ao prato escolhido.

                A receita da massa já está comigo há anos, mas as dicas para colorir eu busquei no site Sabores do chef.

                - Para que a massa fique vermelha: adicione uma colherada (generosa) de pasta de tomate na massa.
                - Para que a massa fique verde: por cada ½ quilo de farinha de trigo, agregue 200 ml de suco de espinafre.
                - Para que a massa fique amarela: misture um pouquinho de açafrão em sua massa.
                - Para que a massa fique negra: coloque junto com a massa, umas gotas de tintura de calamar (lula).
                - Para que a massa fique roxa: misture em sua massa, por cada ½ quilo de farinha de trigo, 200 ml de suco de beterraba
                - Para que a massa fique com ervas: misture finas ervas em sua massa




              Receita 3:

              - 1/2 xícara (das de chá) de farinha de trigo comum;
              - 1/2 xícara (das de chá) de farinha de trigo grano duro;
              - 1 colher (das de sopa) de água;
              - 1 ovo;
             - 1 colher (das de chá) de sal;
             - 1 colher (das de chá) de urucum em pó;
             - 1 colher (das de café) de noz moscada.

             Misture as farinhas e a água, até começar a dar liga.
             Acrescente o ovo, o sal, o urucum e a noz moscada.
            Continue amassando até dar liga, acrescentando água, às colheradas, sómente se for necessario.
            A consistencia da massa é a de massinha escolar.

            Prepare mais duas receitas, substituindo o urucum por pó de beterraba e pó de espinafre.
            Este tipo de pó se encontra em mercadões, nas bancas de temperos.

             Montagem:

             Abra as massas, com um rolo ou com cilindro proprio para massas.
             As massas verde e vermelha, abra no formato de talharim de diversas larguras.
             Abra a massa base, a de urucum, em placas largas, umedeça com borrifador e aplique as fitas verdes e vermelhas, arrumando-as a seu gosto.
             Polvilhe farinha de trigo e passe o rolo de massas por cima para que as tiras se fundam com a massa base.
             Faça duas placas iguais.
             Coloque recheio, à escolha, em uma delas, cubra com a segunda placa e corte com cortadores de formatos variados.
             Cozinhe normalmente e sirva com o molho preferido.


              Sugestão:

              - Abra uma placa de massa base, corte varios pedacinhos de massas coloridas, com mini cortadores de biscoito (estrelas, corações, círculos, flores, folhas, etc), coloque espalhados sobre a massa base e passe o rolo para fundi-los.
              - Misture porções de massas de diferentes cores, faça um torçal longo e passe pelo cilindro de massa.
              Assim você terá uma massa marmorizada.



              Receita 4:

              - 1 kg de farinha de trigo;
              - 8 a 10 ovos.

              Misture e amasse com os punhos fechados, até que grude levemente nas mãos, sem desprender porções da massa.
              Polvilhe farinha em uma superficie, faça uma cola de massa, cubra com pano de prato levemente úmido e deixe descansar por 30'.
              Abra com o rolo e modele todo tipo de massa, recheada ou não.


              Para guardar a massa precozida na geladeira:

              Mergulhe a massa, rapidamente na água fervente, escorra, mergulhe em água gelada com gelo e passe oleo em cada peça, se for, por exemplo, capelete ou ravioli.
              Para congelar não precisa passar oleo, basta congelar em aberto e depois ensacar.
              Para servir, mergulhe por minutos, em água fervente.


             Uma porção de massa = 100 g de macarrão ou 1 copo, tipo requeijão.
             Para cozinhar = para cada 100 g de massa ferva 1 l de água e só coloque o sal quando a água ferver.

     Para ver outras receitas de massas acesse o Índice 4.
     Para ver outras receitas de massas básicas acesse o Índice 7.