3 de out de 2010

Frango com legumes da vó Chiquinha

Frango com legumes da vó Chiquinha

               Tenho muitas lembranças dos meus avós, embora eles ja tenham nos deixado há muito tempo.
               Foram muitos e maravilhosos momentos, tanto na casa dos avós paternos, quanto na dos avós maternos.
               Ambas as casas tinham quintais maravilhosos, com árvores frutíferas.
               Na casa dos meus avós maternos havia mais árvores frutíferas, mas minha avó Chiquinha, mãe do meu pai, gostava muito de plantar e mantinha uma horta de temperos e outra de legumes, num pequeno terreno ao lado de sua casa.

               Lembro-me que também havia muitas flores, uma árvore com flores brancas, ao lado da horta de temperos, uma roseira branca, no quintal dos fundos, próximo à um pé de carambola, muitos pés de antúrios ao longo da parede da varanda (na casa da avó materna também tinha muitos vasos com antúrios), margaridas ao longo do caminho/corredor que levava ao quintal, nos fundos da casa.
               Lembro-me, também, do sorriso sempre presente no rosto da vovó, de seus cabelos compridos e lisos, que ela mantinha sempre presos em um coque e me lembro de muitas vezes em que ela foi à horta colher legumes para fazer o almoço.
               Ainda sinto o gostinho de seu frango com legumes e de seu feijão, aquela "travadinha" que ficava no fundo da garganta, quando acabávamos de comer e do pires com melado de cana e farinha de mandioca que ela nos servia como sobremesa.
               Ainda costumo procurar aquele jarro de barro em que era envasado o melado de cana que fazia o nosso deleite. Como se junto com o melado, aqueles tempos pudessem voltar.
               Não sei o que causava aquela "travadinha" na garganta, mas eu associei às panelas de ferro que a vovó usava.
               Ainda me lembro, com detalhes, dos utensílios que ela usava, principalmente a enorme concha que ela usava para servir o feijão.
               Talvez não fosse a concha tão grande assim, talvez eu é que era pequena demais.
               Não importa! O fato é que era bom demais estar lá!

               Esta não é exatamente a receita da vovó, ja que eu era muito pequena para pedir a receita quando ela ainda estava conosco, mas é a minha versão, baseada em minhas lembranças.




               - 1 frango cortado em pedaços;
               - 2 cenouras pequenas;
               - 2 a 3 caras moela, também conhecido como cara do ar;
               - 2 ou 3 inhames;
               - 2 chuchus pequenos;
               - 2 cebolas raladas no ralo grosso;
               - 2 a 3 dentes de alho socados;
               - 1/2 maço de cheiro verde (salsinha e cebolinha);
               - 1 raiz de gengibre;
               - sal a gosto;
               - pimenta do reino moída na hora.

               Costumo esfregar fubá mimoso em todo o frango, esfregando bem para retirar qualquer resíduo de pele ou pena que tenha restado, lavando, em seguida, em bastante água corrente.
               Depois tempero com a cebola ralada ( já que meu "eleitorado" não gosta muito de morder temperos), o alho, sal e o cheiro verde bem picadinho.
               Muitas vezes até prefiro bater no liquidificador.
               Quanto à pimenta, sempre gostei de comprar moída na hora, na feira, porque assim tenho certeza da pureza e que ela esta fresca, ja que alguns temperos podem juntar fungos que causam males.
               E se for usar pimenta, use uma quantidade mínima para dar sabor ao prato, sem que as pessoas consigam identificar este tempero.
               Muitas pessoas que não gostam de pimenta, cravo da Índia ou canela, comem com prazer pratos feitos, por mim, com estes temperos sem sequer notar a sua presença, mas certamente notariam se eu deixasse de usar.
                Voltando ao frango.
                Deixe marinando em um pote com tampa por pelo menos 2h. O ideal é temperar de véspera.
                Na hora de preparar, doure os pedaços de frango, no óleo quente.
                Se você é como eu, que tem dificuldades para dourar o frango, segredinho da minha cunhada Martinha: coloque uma colher (das de café) de açúcar na panela vazia e deixe caramelizar. Ai coloque os pedaços de frango e vá pingando água, aos poucos, até dourar por igual.
                Com o frango dourado é hora dos legumes.
                Coloque primeiro as cenouras e deixe cozinhar all dente.
                A seguir coloque os ingredientes restantes, deixando cozinhar tudo junto.
                Deixe formar bastante caldo, para poder fazer pirão (ele estava sempre presente na casa da minha avó).
                Quando estiver tudo cozido, retire parte do caldo para uma panela à parte e leve para ferver.
                Quando estiver fervendo, despeje farinha de mandioca, devagar e fazendo uma "chuvinha fina", para não embolar, formando grumos.
                 Você pode retirar o caldo do fogo para despejar a farinha e diminuir o risco de embolar.
                 De qualquer forma a farinha deve ser colocada aos poucos e fazendo "chuvinha".
                 Torne a levar ao fogo e mexa até levantar fervura.
                 Não é preciso muita farinha para um bom pirão, ja que ele engrossa à medida que esfria. Por isso, não faça um pirão muito grosso.
                Costumo colocar mais cheiro verde no final do cozimento do frango, para acentuar o sabor.

                                                                  Bom apetite!

Para ver outras receitas de peixes e aves acesse o Índice 4.




Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Nenhum comentário:

Sua opinião sobre o nosso espaço é muito importante.
Por isso sinta-se à vontade para registrá-la. Ou use esse espaço para tirar dúvidas ou deixar sugestões.
Seja sempre bem-vindo(a).