03/05/2017

Cuscuz de arroz


Arraste a setinha abaixo e use-a como marcador durante a leitura da receita ou das listas de índice.     


Cuscuz de arroz 1

                Durante muito tempo eu só conhecia 2 tipos de cuscuz: o de milharina e o de tapioca.
                Com o passar do tempo, descobri o cuscuz paulista e o marroquino.
                Até que um dia aprendi a fazer farinha de arroz e a minha mãe se lembrou do cuscuz de arroz que a mãe dela fazia.
                Então lá fui eu descobrir como preparar o tal cuscuz e amei!!!!
                É fácil de fazer, leve e o mais trabalhoso (mas nem tanto assim) é preparar a farinha.
                Então, mãos à obra!
                Ah! E foi a primeira vez que usei um funil encaixado na válvula da panela de pressão para cozinhar o cuscuz.
                Para poder encontrar com facilidade as receitas desejadas acesse o Mapa do blog.
                Para ver outras receitas de cuscuz, sobremesas e gelatinas acesse o Índice 6.


Cuscuz de arroz 2

                 Ingredientes:

                 - 2 xícaras (das de chá) de flocão de arroz;
                 - 3/4 xícara (das de chá) de água;
                 - 1 colher pequena de sal;
                 - coco ralado fresco a gosto;
                 - margarina para untar.

                 Misture o flocão, o sal e a água.

Cuscuz de arroz 3

                 Deixe hidratar por 20'.
                 O flocão deve ficar úmido, mas ainda ficar soltinho como areia fina molhada (veja a segunda imagem).
                 Coloque água para ferver na parte inferior da cuscuzeira ou em uma panela de pressão, se a válvula for do tipo que se solta.
                 Misture com um garfo para deixar como farofa bem soltinha.
                 Junte o coco ralado, misturando com o garfo.
                 Unte a cuscuzeira ou um funil e coloque a massa sem pressionar.
                 Coloque sobre a cuscuzeira e deixe cozinhar por 3'.
                 Se estiver usando o funil, encaixe-o na válvula da panela e deixe o cuscuz cozinhar por 3'.
                 Desenforme o cuscuz e sirva com manteiga ou com leite misturado com leite de coco.


                  Flocão de arroz

                  A quantidade abaixo rende 1 cuscuz em um funil grande.
                  Nada impede que você prepare a farinha ou flocão com 1 kg ou mais de arroz e guardá-la em um pote com tampa, em um armário longe da umidade.
                  Assim, você terá sempre o flocão para preparar um cuscuz.

Cuscuz de arroz 4

                Lave bem 1 xícara, das de chá, de arroz e deixe de molho em água filtrada, por uma noite.
                Coloque em uma peneira e deixe escorrer toda a água.
                Espalhe os grãos de arroz em um tabuleiro forrado com um pano de prato limpo e seco e deixe secarem. Cubra com um pano fino, tipo tule ou filó, ou mesmo uma tela para evitar insetos.
                 Se possível coloque ao sol para secarem bem.
                 Leva cerca de 2 dias quentes para secarem. É a parte mais complicada.
                 Por fora pode acontecer dos grãos ficarem ligeiramente amarelados (amarelo ocre), mas depois de batidos, a cor branca do interior dos grãos vai predominar.
                 Os grãos devem estar bem sequinhos para se obter um flocão bem soltinho.
                 Quando  o arroz estiver bem seco, coloque no liquidificador e bata por cerca de 8'.
                 Passe por uma peneira e torne a bater os resíduos que ficarem na peneira, se houver.



                  Se não tiver um funil grande ou se a sua panela de pressão não tiver uma válvula que se solte, use o método abaixo para cozinhar o cuscuz.

Cuscuz de arroz 5

                Separe uma leiteira ou panela e um prato que se encaixe na boca da panela escolhida.
                Coloque água nesta panela e leve para ferver.
                Ajeite a massa no prato fundo, embrulhe em um pano de sacaria e amarre o pano na parte de trás do prato.

Cuscuz de arroz 6

                Encaixe o prato na boca da panela, deixando a parte interna, com a massa de cuscuz, em contato com o vapor de água e a parte de trás, onde o pano foi amarrado, para o lado de fora da panela.
                Deixe o cuscuz cozinhar por 3', desembrulhe e sirva.

Para ver outras receitas de cuscuz, sobremesas e gelatinas acesse o Índice 6.




Receba nossas receitas em seu e-mail:


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros

Sua opinião sobre o nosso espaço é muito importante.
Por isso sinta-se à vontade para registrá-la. Ou use esse espaço para tirar dúvidas ou deixar sugestões.
Se desejar incluir uma imagem de uma receita testada ou vídeo ou mesmo usar um emoticon, basta colocar a url da imagem ou vídeo no texto do comentário.
Para achar a url clique na imagem ou vídeo com o botão direito do mouse e depois clique em "Copiar endereço da imagem".
Imagens, vídeos ou comentários ofensivos não serão publicados. Discordar é saudável, ofender não.
Propagandas e links externos também não serão publicados.
Seja sempre muito bem-vindo(a).

22 comentários:

  1. Amo muito tudo isso sou de São Luis do Maranhão..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. É uma culinária deliciosa mesmo, né?
      E muito simples.
      Muito obrigada pela visita.
      Seja sempre bem-vinda.https://3.bp.blogspot.com/-K-Pz5Pac-XU/Wv5n2RWUC-I/AAAAAAABWj4/CdS9InSAbeATZUc18RVCVbZyl9F3-_y9gCLcBGAs/s36/ticon%2B23.png

      Excluir
  2. Amei o cuscuz de arroz. Delicioso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E muito simples, né?
      Que bom que você gostou.
      Seja sempre bem-vinda(o). https://3.bp.blogspot.com/-K-Pz5Pac-XU/Wv5n2RWUC-I/AAAAAAABWj4/CdS9InSAbeATZUc18RVCVbZyl9F3-_y9gCLcBGAs/s36/ticon%2B23.png

      Excluir
  3. Amo cuscuz de qualquer jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também,https://2.bp.blogspot.com/-K5m7OSBI5oE/Wv5n7dx_bFI/AAAAAAABWko/JCD-zxpaiHYFefL4GFFdj5zdRgev57J1ACLcBGAs/s50/ticon%2B34.png .
      Seja sempre bem-vinda(o).https://3.bp.blogspot.com/-K-Pz5Pac-XU/Wv5n2RWUC-I/AAAAAAABWj4/CdS9InSAbeATZUc18RVCVbZyl9F3-_y9gCLcBGAs/s36/ticon%2B23.png

      Excluir
  4. Esse que é feito com grão de arroz msm depois de bater no liquidificador não precisa molhar pra poder fazer o cuscuz?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, precisa.
      São duas receitas diferentes.
      A primeira é a do cuscuz e a segunda é a do flocão de arroz para quem não tem mercados por perto que vendam o flocão.
      O grão sequinho é apenas na hora de bater no liquidificador para virar farinha.
      Sucesso e seja sempre bem-vindo(a).

      Excluir
  5. No caso, eu fiz a farinha de arroz mas ela não é um "flocão". Ainda sim eu posso usar para fazer o cuscuz ou existe uma técnica para transformar minha farinha de arroz em flocos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      Na verdade, mesmo peneirando a farinha o resultado é um flocão e não uma farinha fina como o amido de milho.
      Quando pensamos em flocão imediatamente vem à mente a imagem daquela farinha de milho pedaçuda, né?
      Mas flocão pode ser uma farinha mais grossa, como a milharina, por exemplo.
      Sim, faça seu cuscuz com a farinha que você preparou.
      Sucesso e seja sempre bem-vinda.

      Excluir
  6. A dúvida é: Qual a diferença de deixar de molho e esperar secar e já triturar o arroz seco sem lavar? Obrigada pela atenção desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma explicação rápida e superficial: deixar o arroz de molho neutraliza o ácido fítico que todos os grãos possuem. Este ácido é uma proteção natural dos grãos, mas é indigesto para nós.
      Além disso, o molho em água potencializa os benefícios nutricionais dos grãos.
      E na parte prática, depois de ficar de molho e secar os grãos de arroz estarão maiores e mais macios, facilitando na hora de triturá-los e rendendo mais farinha.
      Sucesso e seja sempre bem-vinda.

      Excluir
  7. Posso misturar a farinha do arroz feita em casa com o flocão do supermercado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim, sem problemas.
      Sucesso e bem-vinda(o) sempre.

      Excluir
  8. Como se faz pra conservar a farinha depois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda e qualquer farinha tem a tendência de absorver a umidade do ar, então a melhor forma de se guardar farinhas é em um recipiente de vidro bem seco, com tampa que feche hermeticamente e em um armário longe da umidade e da luz direta.
      Se morar em cidade com clima muito úmido faça pouca farinha.
      Moro em uma cidade muito úmida e guardo no máximo por 20 a 25 dias. Até mesmo com as farinhas industrializadas tenho este cuidado: potes bem secos, bem fechados e longe da umidade e luz direta.
      Sucesso e seja sempre bem-vinda(o).

      Excluir
  9. Ola,como faço a farinha de arroz em casa?
    Posso comprar o arroz a granel para fazer a farinha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Na postagem eu ensino a fazer o flocão de arroz. Este flocão é a farinha de arroz.
      Há uma outra forma de fazer farinha de arroz e você pode vê-la aqui.
      Sim, você pode comprar arroz a granel para fazer sua farinha e pode fazer com qualquer arroz, inclusive o arroz integral.
      Gosto muito de comprar ingredientes a granel para fazer farinhas e fermentos naturais. Assim a gente garante que estejam sempre fresquinhos e compramos apenas a quantidade necessária, sem desperdícios. É um ótimo hábito.
      Seja sempre bem-vinda(o).

      Excluir
  10. Ótimas dicas!! Coloquei o meu "protótipo" de flocão pra secar e saí pro trabalho. Retornei agora e está com um odor bem forte, e ainda um pouco úmido... isso acontece mesmo ou já está estragado? =( Eu dividi em duas formas, forrado com o pano, mas ele mesmo assim ficou um pouco amontoado devido a grande quantidade, será que foi isso? Pela foto não consegui identificar se devo deixar ele bem espalhado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carlos. Que bom que você gostou das dicas.
      Quanto mais espalhado, melhor, já que a superfície de evaporação será maior, mas não há problema em deixar amontoado, não. Você só terá que ter o trabalho de revirar o arroz para que a camada inferior suba e possa secar também. É o mesmo processo de secagem das amêndoas de cacau. Elas são reviradas para que todas sequem por igual.
      Cheiro forte é normal, já que uma leve fermentação acontece e muitos tipos de arroz já tem um cheiro mais forte que é acentuado por este processo todo.
      O arroz só não pode estar embolorado, meio esverdeado e com aquele pozinho característico de mofo. Se estiver assim jogue fora.
      A propósito o arroz pode até ficar amarelado. É normal. É a oxidação do amido. Mas o flocão vai ficar branquinho.
      Quando for revirar o arroz, aproveite para trocar o pano por um pano seco. E se tiver uma tela ou um tecido mais fino, tipo tule, cubra o arroz para evitar insetos (esqueci de colocar isso na postagem. Falha minha!!!).
      Se estiver quase seco e você quiser adiantar o processo, coloque as assadeiras no forno baixíssimo, com a porta entreaberta (coloque uma colher de pau para manter a abertura) e vire o arroz na assadeira a cada 5 minutos, até que tudo esteja seco. Mas só se estiver quase seco e você quiser finalizar o processo.
      https://1.bp.blogspot.com/-bH3lyWVy49g/XZ_i9G536yI/AAAAAAABXKE/4aYzySFfseYD4rI5r0AJ3gu_cKtUHWEEACLcBGAsYHQ/s600/forno%2Bentreaberto.jpg
      Espero ter respondido tuas dúvidas.
      Se não, escreva de novo e seja sempre bem-vindo.

      Excluir
    2. Nossa, MUITO obrigado por responder! Eu sou maranhense e moro hoje no Recife, aqui não tem essa iguaria que era tão comum pra mim e com o flocão industrializado não conseguia fazer o "cuscuz de taiada". Confesso que acabei jogando tudo fora porque o cheiro me incomodou, mas vou tentar novamente, fazendo uma quantidade menor (tinha colocado 1kg) e vou usar suas dicas!

      Excluir
    3. Imagine, Carlos. Acredito que quando nos propomos a ensinar devemos estar dispostos a tirar dúvidas. É um prazer responder e receber um retorno do que compartilhamos. Nos mostra o caminho a seguir.
      É, sem sentir o cheiro ou ver o aspecto era mais difícil responder mesmo.
      E na dúvida o melhor mesmo é descartar.
      Que bom que pude ser útil.
      Minha mãe era de Recife, mas foi para o Rio de Janeiro ainda adolescente.
      Moro em uma cidade muito, muito úmida. Aqui até as pessoas mofam, se bobearem.
      Mata Atlântica... abençoada, mas muito úmida.
      Então prefiro fazer quantidades pequenas mesmo.
      A boa e velha milharina não aguenta 20 dias no armário.
      Bom, qualquer coisa, já sabe, seja sempre bem-vindo.

      Excluir