23/02/2018

Goiaba em calda e goiabada cremosa


Arraste a setinha abaixo e use-a como marcador durante a leitura da receita ou das listas de índice.     


Goiaba em calda e goiabada cremosa 1

                É tempo de goiabas e a minha goiabeira está carregadinha.
                Minha avó materna sempre fazia compotas de frutas e doces cremosos ou em barra.
                Certo ano, fomos passar nossas férias de verão em um sítio onde havia inúmeras goiabeiras e, é claro, estavam todas carregadinhas também.
                 Além de nos deliciarmos com as frutas em natura, colhemos muitas sacas que, naturalmente, viraram muitos potes de doces.
                 Levamos as goiabadas para a casa da vovó e logo se formaram alguns grupinhos de irmãos e primos descascando as goiabas e/ou picando.
                 Longe de ser um trabalho enfadonho, aqueles momentos se transformaram em uma doce e grata lembrança.
                 Éramos muito felizes e sabíamos!!!!!!!


14/02/2018

Manjar de coco quase verde


Arraste a setinha abaixo e use-a como marcador durante a leitura da receita ou das listas de índice.     


Manjar de coco quase verde 1

                Como eu já disse ao publicar a receita de sorvete de coco quase verde, estou aproveitando os cocos que o vento me fez o favor de derrubar.
                Aliás, a ideia de fazer o manjar foi a primeira que surgiu, já que a polpa saiu tão cremosa do liquidificador, que parecia um mingau.
                Ficou delicioso, o manjar, e foi aprovadíssimo aqui em casa.


08/02/2018

Filhós da vó Anaide, filhós de Recife


Arraste a setinha abaixo e use-a como marcador durante a leitura da receita ou das listas de índice.     


Filhós de Recife 1

               De vez em quando minha mãe lembrava de alguma receita que sua mãe costumava fazer.
               Nada mais gostoso do uma receitinha temperada com sabor saudade.
               O problema é que minha mãe nunca se preocupou em aprender as receitas da mãe, embora seja uma excelente cozinheira.
               Então precisei pesquisar muito e fazer algumas receitas até chegar em uma bem parecida com a da vovó.
               No nordeste do Brasil e em Portugal, filhós são friturinhas feitas na época do carnaval e servidas com calda de especiarias.
               Embora o carnaval não fizesse parte das nossas tradições, preparar os filhós nesta época fazia parte das tradições da vovó. Pelo menos enquanto seus filhos eram solteiros.
               Minha mãe acabou recebendo a receita de uma colega de trabalho.
               A massa é a massa choux, com a qual se faz bombas e Carolinas e uma série de outras receitas doces e salgadas. A massa é neutra.
               Eu já havia publicado a receita aqui, junto com a receita de filhós de Caicó, mas não tinha fotografado a receita da vovó ainda.
               Por isso resolvi desmembrar aquele post em 2, dando o destaque merecido à receita de minha querida e saudosa avó.
               Mãos ao trabalho!!!!


02/02/2018

Sorvete de coco quase verde


Arraste a setinha abaixo e use-a como marcador durante a leitura da receita ou das listas de índice.     


Sorvete de coco quase verde 1

                Coco quase verde????????
                Sim, quase verde.
                Tenho um coqueiro anão em casa e este já é o quarto ano que colhemos cocos. Por ser anão, acabamos colhendo 3 ou 4 de cada vez, para ter água sempre fresquinha e polpa bem molinha.
                Mas este ano, o coqueiro deu muito mais coco do que nos anos anteriores, então eu estava evitando colher cocos na esperança que amadurecessem e eu pudesse fazer cocadas que há tanto tempo planejo fazer. Quase nunca dou sorte com os cocos maduros que compro por aqui.
                O último coco que comprei estava aparentemente maravilhoso! Polpa branquinha, muita água, mas... ao bater no liquidificador para preparar um pudim o sabor estava que era sabão puro.
                 Desisti de comprar coco maduro por aqui.
                 Mas uma ventania na semana passada, derrubou um belo cacho com cerca de 20 cocos.
                 A solução foi aproveitar a polpa, que nem estava madura, nem estava verde e translúcida como as dos cocos vendidos em quiosques nas praias, para fazer este sorvete e um manjar, que ficaram deliciosos.
                 Minha intenção ao ver a polpa branquinha, era retirar o leite para fazer bolo e  aproveitar o bagaço para as cocadas, mas a polpa ainda estava molinha demais e, ao bater no liquidificador, resultou em um creme bem parecido com um mingau.
                 Então nada de bagaço ou de leite e, em troca, um belo sorvete e um belo manjar, que publicarei na semana do carnaval.