24 de abr de 2014

Filhós de Caicó


Filhós da vó Anaide 1

               Em tempos de tormenta, nada como um alimento carregado de boas lembranças para renovar o nosso ânimo.
               Com certeza cozinhar é um ato de amor e o simples fato de prepararmos algo que fez parte da nossa infância nos traz força para seguirmos em frente.
               São os aromas, as texturas, as cores e os sabores que parecem nos dizer: "- Vai ficar tudo bem. Eu estou com você."


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


16 de abr de 2014

Rosca Penha


Rosca Penha 1

               Sempre fui apaixonada por estas rosquinhas de massa bem seca e cobertas com açúcar craquelado.
               Na minha infância elas sempre estiveram presentes, mas nunca reparei em seu nome. Simplesmente procurava o pacote e levava para casa.
               Elas eram até mesmo ligeiramente aeradas.
               E o craquelado do açúcar ainda as deixavam mais atraentes.

Rosca Penha 2

               Um dia, achei a imagem acima, guardei e resolvi procurar a receita a partir da imagem.
               Foi então que descobri o nome da simpática rosquinha: rosca Penha.
               Mas só achei a receita em um blog, o Na varanda com Lanynha.
               Pena que descuidei na hora de preparar a calda e a minha não ficou como deveria, apesar de ter ficado deliciosa.
               De uma forma ou de outra, valeu muito fazer as rosquinhas.
               Para ver a receita na varanda da Lanynha, clique aqui.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


9 de abr de 2014

Bolo e compota de caroço de jaca



Bolo de caroço de jaca 1

               Me lembro de ver minha avó Anaide preparando este bolo pelo menos 2 vezes.
               Com certeza ela deve ter feito outras vezes, principalmente quando suas filhas eram solteiras.
               Mas nunca vou esquecer do prazer de descobrir que algo que naturalmente iria para o lixo, pode ter tanto sabor.
               E aproveitando o finalzinho da safra, resolvi trazer esta lembrança mais do que querida.



Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Mousse de jaca


Mousse de jaca 1

               Aproveitando o finalzinho da safra de jacas, que vai de novembro à fevereiro/março, encomendei à uma amiga, a Val, uma jaca mole, uma jaca dura e duas jacas verdes.
               Acho que ela não me entendeu muito bem (poucos têm o costume de usar frutos verdes na culinária, especialmente em pratos salgados) e me trouxe uma jaca menos madura e duas no ponto.
               Conclusão: aproveitei para experimentar algumas receitas originalmente feitas com outras frutas.
                A mousse é uma delas.
                Minha sogra já havia me falado que experimentara a mousse de cupuaçu, cuja polpa tem a textura semelhante à da jaca.
                Então, por que não?


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


1 de abr de 2014

Nego bom



Nego bom 1


                Nego bom é um docinho muito simples, mas simplesmente delicioso!
                Nada mais é do que uma bolinha de doce de banana envolvida em açúcar cristal.
                Fez parte da minha infância e fez parte da infância da minha mãe.
                Por isso, quando ela viu 3 bananinhas já passando do ponto, me pediu para fazer o doce.
                Ou seja, é tão simples que é possível se fazer o doce até com apenas 1 banana, matar aquele desejo de doce, sem grandes prejuízos para a dieta.
                 Enfim, "nego bom" é bom demais!!!!!!


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros