29 de mai de 2013

Sopa e caldinho de feijão


Receitas de todos nós

                Nos tempos de primário eu amava quando o lanche servido na escola era sopa de feijão com salsicha.
                Gosto muito de sopas creme e eles sempre serviam um pedaço de goiabada de sobremesa.
                Um dos meus irmãos costumava amassar a goiabada e misturá-la à sopa...
                Meio estranho, não?
                Nãããããããoooo... ele só pulava etapas, comia a sobremesa junto com o prato prncipal, rsrsrsrs.
                Bom, considerando-se que se usa cozinhar uma laranja inteira na feijoada, por que mão goiabada na sopa de feijão???
                Em casa fazíamos e fazemos muito a sopa de feijão.
                Pedi à minha filhota para comprar uma massa para sopas e a simpática me trouxe massa de letrinhas para zoar comigo.
                Ninguém merece!!!!!! Tomar sopa de letrinhas a esta altura da vida!!!!
                Enfim, nada mais escolar do que as lembranças e a massa em forma de letrinhas...


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Pão para hamburguer com fermento natural

Pão para hamburguer com fermento natural
       
                Já publiquei uma vez, a receita para pães de hamburguer, mas era uma receita de bisnaguinhas de leite.
                Desta vez, além de usar uma receita de um pãozinho muito apreciado aqui em casa, resolvi acrescentar fermento natural na massa.
                O resultado ficou muito bom.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


22 de mai de 2013

Defumando carnes em casa


Frango defumado caseiro


                Sempre quis fazer defumados em casa, mas achava que seria muito trabalhoso e exigiria muitos equipamentos.
                Dia desses vi, em um programa de televisão, um processo muito simples e que me animou a tentar.
                Mas fiquei em dúvida sobre alguns detalhes e resolvi pesquisar na internet.
                Vi alguns videos, li algumas postagens e cheguei à este processo.
                Simplesmente me encantei com todo o processo e com o resultado.
                Certamente farei muitas e muitas vezes, com outras carnes e até com queijos firmes.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


15 de mai de 2013

Cocada de fita e quebra-queixo

Cocada de fita e quebra-queixo
           
                Houve um tempo em que eu não gostava de cocadas, sinceramente "sabe-se lá o porquê"...
                Ai, meus irmãos resolveram ganhar seu proprio dinheirinho e fizeram cocada para vender (ou alguém fez as cocadas, não lembro bem), mas a timidez dos seus, sei lá, 10 ou 12 anos, impediu que eles saissem vendendo.
                A cocada estava tão gostosa que exagerei ...
                Resultado?
                Mais algumas décadas sem comer quase nenhum tipo de cocada.
                Só comia cocada preta cremosa. O açúcar caramelado deixava o doce menos enjoativo.
                Hoje já como cocadas eventualmente, e com muuuuuuuuuiiiiita moderação, e continuo preferindo as cocadas pretas e os quebra-queixos.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Descascando e filetando coco


Descascando e filetando coco


                Há algum tempo aprendi um método ótimo para abrir e soltar nozes de suas cascas.
                Já testei um outro método para abrir coco, mas não gostei do resultado porque é no fogo, o que deixa o coco com fuligem e defumado.
                O  coco rachou rápido, mas a polpa ficou amarelada e a casca com fuligem, mesmo embrulhando em papél aluminio.
                E li que colocando o coco no forno  durante 20' ele também racha e a polpa fica solta na casca. Mas acho que o coco também deve ficar com gosto de defumado.
                Então resolvi testar a mesma técnica aprendida com as nozes para soltar a polpa do coco de sua casca.
                Amei o resultado.
                Até para descascar a casquinha mais fina ficou muito mais fácil.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


8 de mai de 2013

Mix de farinhas sem glúten


Mix de farinhas sem glúten


                Desde que uma leitora me perguntou se poderia fazer pão sirio substituindo a farinha de trigo por uma farinha sem glúten tenho pesquisado as farinhas alternativas e fiquei encantada.
                Não tenho nenhuma restrição alimentar, mas minha familia tem tendencia ao diabetes e mesmo que não tivesse, creio que todos nós merecemos uma alimentação de qualidade.
                E fazendo esta pesquisa na net, encontrei uma receita de um mix de farinhas que pode ser usado como substituto da farinha de trigo na proporção de 1 para 1, ou seja, usa-se a mesma quantidade do mix que seria usada em farinha de trigo.
                Nesta mesma postagem resolvi colocar o processo de fabricação das farinhas constantes na receita para o caso de não se encontrar as farinhas mencionadas nos mercados locais.
                De tempos em tempos farei algumas receitas com este mix de farinhas.
                Já fiz um bolo, que ficou ótimo, e um pão, que ficou muito ruim, mas não vou desistir.
                Talvez se substituirmos a farinha de batata por fécula de batata, que é mais fina, o pão fique melhor.
                Também quero experimentar outras misturas como farinha de quinoa.
                Testar receitas tão diferentes do habitual leva algum tempo, não só para nos acostumarmos com sabores tão diferentes, quanto para acertarmos o ponto certo de cada ingrediente.
                Para ver a postagem original do mix de farinhas sem glúten clique aqui.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Pectina caseira


Pectina caseira


                Pectina é uma substancia de origem vegetal, presente nas frutas, especialmente frutos cítricos e na maçã.
                É uma substancia geleificante, imprescindível no preparo de geleias.
                Nutricionalmente é importante porque, em nosso organismo, juntamente com a água ingerida, forma um gel que absorve parte da gordura consumida na refeição, impedindo o armazenamento desta gordura por nosso organismo.
                 Além disso, ela diminui a sensação de fome, o que faz com que passemos a comer menos, com mais qualidade.
                 Mas como não sou nutricionista, minha intenção ao passar as técnicas/receitas de pectina caseira é a de aproveitar esta substancia no preparo de outras receitas, como por exemplo, o mix de farinhas sem glúten, que postarei a seguir, e algumas geleias de ervas ou frutas que não têm pectina natural.
                  Aqui está o passo a passo de como extrair a pectina de laranjas ou limões, da maçã e da casca de maracujá, a já famosa farinha de casca de maracujá.
                  Apreciem!

                  Nota adicionada em 25/08/2013:

                  Faço geleias desde a minha adolescência e em todos os livros que li na época, ensinava-se que para se obter uma boa geleia era preciso preparar a polpa da fruta, medir a quantidade obtida de polpa e acrescentar a mesma medida de açúcar. Ou seja, para cada 1 quilo de polpa, adicionava-se 1 quilo de açúcar.
                  Sempre achei que era muito açúcar, mas sendo de uma família de formiguinhas acabei me acostumando.
                  Duas ou três vezes tentei fazer geleia com 1/3 ou 1/4 da quantidade de açúcar e tudo o que consegui foi um suco muito doce e não a geleia que eu desejava.
                  Com o passar dos anos e com a necessidade de usar menos açúcar, já que minha mãe desenvolveu diabetes depois dos 60 anos, comecei a testar outras quantidades de açúcar e consegui fazer geleias excelentes usando a proporção 1 para 1/2, ou seja, para cada quilo de polpa, uso meio quilo de açúcar. Reduzir em 50% a quantidade de açúcar já é um grande avanço, mas não quero ser a responsável por um problema de saúde da minha mãe. Ela é A formiguinha.
                 A cerca de 8 anos plantei amoras e pitangas em meu quintal e meu irmão já tinha plantado jabuticabas.


Folhas de amora

                 Descobri que as folhas de amora são excelentes no controle da glicemia e do colesterol. Além disso, por uma razão que desconheço, o hábito de tomar 3 xícaras de 200 ml do chá por dia, faz com que comecemos a rejeitar doces com muito açúcar. Pelo menos foi o que experimentamos minha filha e eu.
                 E o nosso paladar fica muito mais apurado, tanto para sentir o doce, quanto para sentir o salgado, com o hábito do chá de folhas de amora.
                 Ai cheguei na pectina.
                 Na minha experiência, fazer geleias só com adoçante sem acrescentar algo que geleifique a mistura não dá certo.
                  Mesmo as frutas que contém muita pectina natural precisam de um reforço de pectina se o açúcar não for adicionado à mistura. Por isso esta pesquisa.
                 E mesmo conseguindo fazer a geleia com adoçante, meu paladar ainda rejeita o adoçante, por isso, ao reaproveitar a polpa da maçã depois de retirar a pectina, acrescentei açúcar no lugar do adoçante.
                Recebi outra dica: acrescentar 1 colher, das de chá, de gelatina incolor para cada 500 ml de polpa de fruta e 1/2 xícara de adoçante de forno e fogão também dá uma boa geleia. Mas esta dica ainda tenho que testar.

                Resumindo:
                - Geleias de frutas com pectina natural (cítricos, frutas vermelhas) feitas com açúcar NÃO precisam de reforço de pectina.
                - Geleias mesmo de frutas com pectina natural, se forem feitas com adoçante, PRECISAM de um reforço na pectina e neste caso a pectina extra SUBSTITUI o açúcar.

                Minha pitangueira tem dado muitos frutos e esta semana vou preparar uma geleia com adoçante e pectina de maçã e com a polpa que sobrar do processo para obter a pectina vou fazer o doce com adoçante e mais polpa de pitanga.
                Então colocarei o resultado aqui.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


1 de mai de 2013

Bolo picada de abelha


Bolo picada de abelha


                Bolos feitos com massa de pão de ló não estão entre os preferidos aqui em casa, não.
                Mas, de vez em quando, uma receita surpreende.
                Este é o caso deste bolo picada de abelha.
                O bolo ficou leve, suave e doce na medida certa.
                A textura do pão-de-ló ficou tão perfeita (esponjosa e absorvente) que, para mim pelo menos, pediu uma calda também doce na medida certa, como a de baba-de-moça, ou mais doce como o caramelo para pudim.
                Fica a dica!


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Torta de cebola


Torta de cebola


                Muitas pessoas gostam muito de cebola como tempero, mas detestam morder pedaços de cebola.
                Grande parte da minha familia é assim e costumo picar ou ralar muito bem a cebola para que ninguém sinta aflição ao comer.
                Aflição! Esta é a palavra certa!
                Felizmente, minha filha e eu não temos este problema e de vez em quando faço uma tortinha de cebola para nós duas.
               É rápida, prática e deliciosa.
               Como toda torta, serve como acompanhamento ou prato único.
               Quente ou fria, é uma delicia!
               De fazer e de servir.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros