25/11/2011

Torre de Carolinas

Torre de Carolinas

               Há muitos anos atrás, folheando um dos fascículos semanais que minha mãe colecionava, me deparei com uma linda torre formada com Carolinas-profiteroles.
               Não li o texto que acompanhava a ilustração, mas decidi que um dia faria a tal torre.
               Anos mais tarde, precisamente 2011, vi a mesma torre no programa "Mais Você" e descobri que é o bolo de noivas tradicional na França.
              Soou muito esquisito, mas eles também devem estranhar os nossos bolos.
              A Ana Maria sugeriu que se usasse um cone de isopor e, com auxilio de palitos, se prendesse as Carolinas no isopor, formando o cone.

20/11/2011

Brigadeiros variados


Brigadeiros variados

              Varias receitas deste docinho maravilhoso que faz a alegria de crianças de 0 a 100 anos. Ou mais...

09/11/2011

Leite de soja, de coco e de oleaginosas





              É sempre útil saber preparar leite de soja em casa e é muito fácil.
              Leite de oleaginosas também são muito úteis e podem ser aquele "temperinho" secreto em receitas simples. Aquele "o que é que tem aqui?", que surpreende quando apresentamos uma receita conhecida "repaginada".
              E para quem ainda não ligou o nome à "pessoa" (rsrsrsrs) oleaginosas são chamadas muitas vezes de frutas secas, por não serem suculentas, mas que liberam óleo quando trituradas: nozes, avelãs, amendoins, castanhas de todos os tipos.
              Um simples bolo pode receber um sabor a mais, acrescentando-se apenas o bagaço que sobrará do processo de extração do leite, ou mesmo substituindo-se o leite de vaca pelo leite de oleaginosas.
              E a receita, por tudo isso, é um coringa na manga!

Sucos de frutas vermelhas


              Quando eu vi esta receita no "Mais Você" fiquei muito interessada.
              Primeiro porque gosto de sucos de frutas frescas, mas sempre achei que o suco de uvas, jabuticabas e amoras ficava com um quê "travante", algo meio indefinido, mas que tira um pouco o prazer de tomar o suco.
              Segundo porque acho a cor destes sucos maravilhosa.
              E terceiro e mais importante, porque tenho um pé de jabuticaba e de amoras no quintal e depois de fazer 2 potes de geleia, só fazendo suco com o restante da safra, rsrsrsrsrs.
              Então, experimentem e deliciem-se!!!!!!

08/11/2011

Chanclich


              Chanclich é um queijo/aperitivo feito a partir de coalhada seca ou ricota.
              A receita original, árabe, é feita com leite de ovelha ou de cabra, mas pode ser feita com o leite disponível na região.
              Colecionei algumas receitas ao longo dos anos e vou colocá-las aqui.
              Mas pesquisando imagens na internet, achei uma receita original, de família e quem me acompanha sabe o valor que eu dou às receitas e aos momentos em família, e não resisti: tive que trazê-la para cá. É a última receita desta postagem.
               A autora da receita é Neyd M M Montingel.
               E a postagem original da receita pode ser vista em FarmPoint.
               Se você quiser fabricar a receita original da Neyd, vale muito a pena acessar o link porque ela responde a muitas dúvidas nos comentários. Eu transcrevi a receita porque quero achá-la fácil e muitas vezes acabo deletando os meus favoritos, rsrsrsrs.
               Aliás, com esta receita aconteceu isto. Tive que fazer a pesquisa para achar a receita original, usando uma imagem que eu tinha guardado no Picasa. Ainda bem que o Google permite carregar imagem para pesquisar!!!!


              Receita 1:

              - 2 l de leite;
              - 2 colheres (das de sopa) de iogurte natural ou coalho para iogurte.

              Ferva o leite, retire do fogo para abaixar a fervura, e torne a levar ao fogo para ferver uma segunda vez.
              Deixe amornar.
              Misture o iogurte ou o coalho, tampe e envolva em uma toalha de mesa grande.
              Deixe em lugar protegido por uma noite, sem mexer.
              Coloque um saco branco de sacaria dentro de outro e despeje este iogurte dentro, deixando o soro cair em uma bacia. Guarde este soro para outras preparações (bolos, pães, sucos...).
              Quando a maior parte do soro já estiver na bacia, pendure o saco em um varal, com um balde por baixo, e deixe entre 1 a 2 dias, para fazer uma coalhada seca.
              Unte as mãos com azeite e modele bolinhas, passando-as em ervas secas, pimentas secas ou em zattar, que você pode encontrar em empórios árabes.



              Receita 2:

              - 200g de queijo cremoso;
              - 200g de queijo fundido;
              - 200g de queijo meia cura;
              - 200g de queijo parmesão ralado;
              - 1 colher (das de sobremesa) de suco de limão;
              - 1/2 xícara (das de chá) de castanha do Pará picada;
              - raspas de gengibre e de casca de limão;
              - 3 a 4 colheres (das de sopa) de maionese;
              - 1 a 2 colheres (das de sopa) de creme de leite;
              - castanha de caju trituradas, sementes de gergelim ou sementes de girassol.

              Misture os 7ºª ingredientes, acrescentando a maionese e o creme de leite, aos poucos, até dar ponto para enrolar.
              Faça as bolinhas e passe nas castanhas ou sementes.



              Receita 3:

              - 500g de ricota processada;
              - 3 colheres (das de sopa) de zatar;
              - sal, pimenta síria e pimenta do reino a gosto;
              - 1 colher (das de chá) de pimenta calabresa seca;
              - um fio de azeite;
              - nozes moídas ou gergelim;
              - zattar ou alho desidratado ou ervas secas.

              Misture a ricota, a primeira medida de zatar, o sal, as pimentas, o azeite e as nozes moídas ou gergelim.
              Modele as bolinhas, passe-as em zattar ou alho ou ervas secas, embrulhe-as em filme plástico e leve para gelar.
              Se preferir, coloque as bolinhas em vidros esterilizados e complete com azeite.



              Receita 4:

              - 3 l de leite;
              - 1 colher (das de sopa) de sal;
              - 2 colheres (das de sopa) de iogurte natural;
              - azeite;
              - 2 galhos de alecrim;
              - 1 pimenta dedo de moça;
              - 3 galhos de tomilho;
              - 2 dentes de alho laminado;
              - 2 folhas de louro;
              - sal a gosto.

              Ferva o leite, deixe amornar e misture o sal e o iogurte. Deixe coalhar por uma noite.
              Coloque em um pano de sacaria, dentro de um escorredor de massas, e deixe dessorar por 72h.
              Modele bolinhas e coloque-as em um vidro esterilizado.
              Coloque o alecrim, a pimenta, o tomilho, o alho laminado, o louro e sal a gosto.
              Cubra tudo com azeite.



               Receita 5, tradicional:

              - 10l de leite de cabra pasteurizado, aquecido a 35º;
              - 5 gotas de coalho;
              - sal;
              - 1 colher (das de sopa) de pimenta calabresa em flocos;
              - zattar em pó, com sementes de gergelim;
              - bandeja grande de louça ou plástico;
              - saco de algodão muito limpo;
              - tule para cobrir o queijo enquanto é curado.

              Misture o coalho ao leite morno, coloque em pote de plástico ou de vidro com tampa e deixe descansar por 24h.
              Retire a coalhada, que deve estar com o soro de cor esverdeada, com auxilio de uma escumadeira.



              Passe a coalhada para o saco de algodão, previamente fervido e mergulhado no soro da coalhada.
              Amarre a boca do saco e pendure em lugar ventilado e deixe entre 24 e 36h, ou até a massa ficar firme, macia e seca.
              Passe para uma tigela grande, acrescente sal, amasse com as mãos e prove.
              Acrescente a pimenta calabresa, sove mais um pouco e deixe descansar por 2h.
              Faça bolas um pouco menores do que bolas de tênis. Elas irão diminuir durante o processo de cura.
              Coloque as bolinhas na bandeja e deixe por 24h.


              Passe no zattar, envolvendo as bolinhas completamente.
              Recoloque na bandeja, cubra com o tule para evitar insetos.


              Estes queijos devem receber sol direto por 30', 3 vezes por semana e por 3 semanas.Na falta de sol, use um ventilador, livre de poeira.
              Após os 30' de exposição ao sol, retire o azeite que se forma no fundo da bandeja e guarde para temperar carnes.
             Depois de 30 dias do inicio da fabricação, os queijos estão prontos para consumo.
             Devem estar menores, com uma camada de mofo esverdeado e um forte odor.
             Embale um a um, em filme plástico ou papel alumínio.
             Mais detalhes leia Chanclich - Queijo árabe picante.

Para ver outras receitas de queijos acesse o Índice 4.


07/11/2011

Queijo branco e ricota



              A primeira vez que fiz queijo branco li que, depois de colocada a massa nas formas, era necessário colocar um peso para que a coalhada ficasse compacta e o soro pudesse ser eliminado com mais facilidade.
              A sugestão era de usar um pedaço de madeira. E eu tinha alguns pedaços de madeira em casa.
              Mas era pinho de riga, e para quem nunca ouviu falar: madeira muito usada para fazer tábuas para assoalho.
              Resultado, a seiva da madeira deixou um gosto amargo na minha massa e os meus primeiros e lindos queijos foram todos para o lixo. Sniff! Sniff! Sniff! Sniff!
              Mas, eles ficaram lindos!!!!!!!
              Depois passei a fazer queijos sem prensar e, sinceramente, não senti falta da prensa.
              E, é claro, existem prensas adequadas à venda.
              Houve uma época em que minha irmã Leticia fazia muita coisa em casa, pães, queijos, doces. Hoje, por causa do trabalho, ela já não tem o mesmo ânimo. Conclusão: herdei as formas de queijo dela.
              Valeu, maninha!!!!!!!!!!!!!!!!!

06/11/2011

Frutas glaçadas

Frutas glaçadas

              Esta é uma boa ideia para a decoração natalina.
              Principalmente para quem não é muito chegado em comer frutas cirstalizadas, mas gosta do efeito que elas têm na decoração.
              As uvas, principalmente se estiverem azedinhas, ficam muito saborosas com esta casquinha. Acredito que cerejas e ameixas também fiquem muito saborosas.
              Mas, se a ideia for só decorar, lave as frutas em água filtrada, no dia seguinte à ceia e sirva ao natural ou faça uma salada de frutas e sirva com sorvete, no chamado "enterro dos ossos".
              Afh! Que horror! Alguém ainda chama assim o almoço de natal??????????

Bolo com massa corrida

Bolo de massa corrida


               A postagem de hoje é só curiosidade: um bolo coberto com massa corrida e a origem do Receitas!!!!!
               A foto não está boa. Foi tirada há 13 ou 14 anos com uma máquina não muito boa e analógica.
               Sei que bolos artificiais não são exatamente uma novidade e que é até comum noivos alugarem bolos decorativos artificiais para decorarem o salão de festas, enquanto o bolo recheado é cortado nos bastidores.
               Mas quando me pediram para fazer um bolo artificial de 100 x 100 x 100 eu me espantei e custei a entender. Eles queriam o bolo para comemorarem o aniversario da loja na cidade e queriam exibir o bolo por todo o mês, no centro da loja.
              Eu trabalhava com decoração de festas infantis, em isopor, então até que não foi difícil.

01/11/2011

Panetone com laço de chocolate

Panetone com laço de chocolate


              Sempre que faço panetones, gosto de decorá-los e usá-los como decoração de uma aparador ou até mesmo da mesa principal da ceia.
              Costumo cobri-los com chocolate branco ou ao leite, geralmente misturados com um pouco de vinho e creme de leite, para ficar bem cremoso.
              Mas, para fazer esta postagem, resolvi cobrir com fondant para destacar o laço.
              É uma boa sugestão para presentear ou decorar a mesa.
              Se quiser fazer o panetone em casa, clique aqui. A minha receita preferida é a segunda. É a mais saborosa.