30 de nov de 2012

Pão de alho


Pão de alho
 
               Conheci o pão de alho há muitos anos, quando frequentava uma pizzaria perto da minha casa com meus filhos ainda pequenos.
                Era uma festa! Era um dos programas que fazíamos constantemente, só nós 4.
                Caminhávamos a pé uma bela distancia, pelas ruas secundárias da Tijuca, ruazinhas arborizadas e muito tranquilas, até chegar à Pça Saens Penna, na feirinha hippie que acontece toda sexta e todo sábado.
                A caminhada fazia parte do prazer e a pizzaria com os pães de alho por aperitivo completavam nosso dia.
                Muitas vezes eu levava os pãezinhos para casa, semiprontos, de alho e de pimenta calabresa.
                Na época nem me lembrei de pedir a receita da pasta de alho.
                Não era simplesmente maionese misturada com alho amassado, mas nem me ocorreu pedir a receita.
                Os filhos cresceram, a vida seguiu seu rumo, meus filhos continuam muito companheiros, mas falta uma.
                Nossos encontros já não serão os mesmos, mas as lembranças, que nos sustentam e nos mantém firmes, com muito amor, me fizeram procurar a receita todos estes anos e consegui.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


28 de nov de 2012

Chilli com carne


Chilli com carne

             Sempre gostei de feijão com carne moída, muito antes de conhecer a culinária mexicana.
             E como carioca da gema, o feijão preto reinava absoluto em nossa casa.
             Eventualmente fazíamos um feijão branco e mais raramente, um mulatinho.
             Ah! E as famosas saladas de feijão fradinho.
             Mas, custei a prestar atenção ao feijão vermelho e quando o fiz, fui agradavelmente surpreendida.
             E não só com o sabor ou a cor, mas também com a fácil digestão deste feijão, principalmente se comparado ao preto.
             Então sempre que possível, uso o feijão vermelho, sem nunca esquecer o pretinho de todos os tempos.
             E aqui vão 3 receitas de chilli.
             Deliciem-se!


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Flor de pimenta vermelha


Flor de pimenta vermelha

               Natal chegando!
               Tempo de festas ou não, sempre é tempo de fazer bonito na apresentação de um prato.
               Decoração com legumes e temperos sempre encantam.
               E a pimenta dedo de moça, por si só, já é um espetáculo, assim... ao natural.
               Mas sempre é possível deixá-la mais bela e atrativa, até para quem não gosta de pimentas.
               E vamos combinar: o vermelho intenso das pimentas tem tudo a ver com o natal, ainda mais se acompanhado do verdinho da salsa ou mesmo de folhas de salvia ou manjericão.
               E é uma decoração muito simples de fazer.
               Então, mãos à obra.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Tortilhas e nachos


Tortilhas e nachos

                Gosto muito de tortilhas mexicanas, pães folha, pães sírios e similares.
                Acho a textura destas "bolachas" perfeita para recheios cremosos e patês de queijo.
                E são tão práticos de fazer!!!!
                Conheço uma receita, que deve ser muito tradicional, daquelas que só os mais antigos faziam, que é muito mais trabalhosa porque é feita a partir do milho branco de canjica demolhado, processado e prensado e até chegar ao ponto de tostar, deve levar muito tempo e esforço.
                Mas não é desta que quero falar e sim aquela que é feita com uma mistura de farinha de milho em flocos com farinha de trigo e pode ser tostada em uma frigideira antiaderente.
                A que faço normalmente é do tipo maleável, que pode até ser enrolada como panqueca, para se fazer burritos, ou pode ser cortada em 4, para se fazer nachos.
               E, pesquisando por ai, notei que algumas são bem durinhas, rígidas.
               Então resolvi tentar fazê-las para pelo menos experimentar.
               Aqui está o resultado.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Mousse de amoras



Mousse de amoras


               Minhas amoras e eu!!!!!
               Ter uma amoreira no quintal é uma maravilha.
               Além dos benefícios do chá e do fato de você ter certeza de estar consumindo frutos sem agrotóxicos, ainda é possível testar varias receitas nem tão diferentes, mas não usuais.
               É o caso desta mousse.
               Tive receio de fazer a primeira receita porque tentei com morangos e não deu certo.
               Quando meus filhos eram pequenos, eu conseguia bater morangos com o creme de leite e leite condensado e não adicionar gelatina. E conseguia a mousse.
               Hoje em dia, só adicionando a gelatina incolor.
               Mas a de amoras ficou perfeita, sem a adição de gelatina, embora a segunda receita (com gelatina) não tenha ficado de todo mal.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


21 de nov de 2012

Pastel de nata de chocolate


Pastél de nata de chocolate


               Mais uma receita que vi no blog Sabor Saudade e não resisti.
               Fiz o meu pastel com a massa de chocolate e o recheio com chocolate branco e, em outra ocasião, fiz com a massa folhada básica e recheio de chocolate meio amargo.
               A minha intenção ao fazer com chocolate meio amargo era ver se o recheio de chocolate vazaria no forno. E, graças a Deus, não vazou. Para isso bastou rechear a massa crua e deixar os pasteizinhos na geladeira por 1 h antes de levá-los ao forno super quente.
               O choque térmico do forno em contraste com os pasteizinhos/empadas resultou em uma massa crocante e o recheio borbulhou, mas não vazou.
               Fica a dica: geladeira antes de assar e forno muito quente.
               A primeira receita eu fiz com recheio mais firme, mais ao meu  gosto, mas a receita com chocolate meio amargo ficou mais cremosa, quase líquida e mesmo assim não transbordou.
               Nos pastéis de nata tradicionais o recheio é completamente líquido e uma hora ainda vou experimentar deixar meu recheio mais líquido.
               Para acessar a receita original: pastel de nata de chocolate.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Achocolatado caseiro



Achocolatado caseiro

                Esta é uma receita "genérica" de um daqueles achocolatados que vêm em caixinhas longa vida.
                Costumo fazer muita coalhada seca em casa e sempre tenho muito soro resultante da coalhada.
                Faço pães e biscoitos com esta coalhada.
                Mas, lendo algumas embalagens de achocolatado pronto para o consumo, percebi que são feitas com soro de leite.
                Assistindo a alguns programas culinários aprendi a receita deste achocolatado caseiro e descobri que o soro deste queijo caseiro ou da coalhada, quando é feito com leite integral pasteurizado (nunca com o longa vida), é excelente para a memória.
                E o ideal é tomar um copo deste soro por dia, de preferência pela manhã.
                Para quem não é mais criança ou não gosta de chocolate e achocolatados, pode bater um copo de soro com a fruta preferida.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Creme de chocolate da Anete


Creme de chocolate da Anete

                Mais uma receitinha genérica, daquelas que ficam bem parecidas com as industrializadas.
                É claro que as receitinhas tradicionais têm seus segredinhos e devemos respeitar.
                Mas nada impede que criemos receitas bem parecidas, sem todos aqueles conservantes que tiram o sabor dos alimentos.
                Então aqui vão duas receitas muito parecidas, uma delas do Jurandyr Affonso.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


15 de nov de 2012

Amoras em compota, em calda e em geleia



Amoras em compota, em calda e em geleia

                Minhas amoras e eu, um caso de amor eterno!
                E esta ai da foto resolveu esperar comodamente o momento de ser colhida.
                Reparem como ela se "recosta" (sic!) no galho, confortavelmente.
                Esta pose, além da fotografia, garantiu à esta pequena amora, mais um dia no pé, rsrsrs.
                Amo geleias de frutas vermelhas, seja pelo sabor meio azedinho, seja pela textura, seja pela cor e, principalmente pelos benefícios à saúde.
                Frutas vermelhas conduzem à longevidade.
                Já fiz muito mais geleia do que faço hoje.
                Não pretendo abolir o açúcar da minha dieta, mas que estou reduzindo o consumo, isto sim.
                E não é por imposição de dietas ou de quem quer que seja. Esta redução de açúcar está sendo bem natural. Acho que meu paladar está mudando.
                Por isso, depois de fazer um vidro de geleias, outro de calda e mais um de compota, agora estou fazendo suco com as frutas que a cada dia colho no pé.
                Ainda não testei a versão diet (ou light?) de geleia de amoras.
               Quem sabe um dia!!!!


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


14 de nov de 2012

Carne seca com abóbora



Carne seca com abóbora

                Este é um daqueles pratos simples, de grande visual e deliciosos.
                Pode-se dizer ... comidinha de roça????
                Comidinha de vó?????
                Não importa!
                O fato é que à simples menção deste prato já "viajo" para uma fazenda ou uma casa grande com quintal, pomar e uma varanda enoooooooorme para poder "lagartear" depois do almoço.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Torta prática de chocolate



Torta prática de chocolate

              Esta é uma daquelas receitas coringas, práticas, rápidas, saborosas e de grande efeito.
              Pode ser feita com quase todas as bolachas sem recheio, doces ou salgadas, portanto pode ser servida com a massa assada (mais crocante) ou "crua" (mais macia).
              Aqui a escolha foi por uma receita de torta de chocolate.
              Faça a sua escolha e delicie-se!


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


7 de nov de 2012

Bolo vela natalina


Bolo vela natalina

              Esta é uma receita que aprendi em uma aula de um centro culinário perto de onde eu morava.
              A autora da receita é a Anka Popovick e suas receitas são sempre um sucesso.
              Lembro que fiquei ansiosa para experimentá-la.
              Cheguei a comprar latas de óleo extras para usar como forma para assar este bolo.
              Hoje já é mais fácil encontrar formas de diversos formatos, mas cilíndricas são mais difíceis de achar. E fazer em forma de panetone deixaria a vela muito grossa.
             Mas eu improvisei com formas de bolo com 11 cm Ø. Simplesmente coloquei papel sulfite para alongar a forma e conseguir minhas velas.


Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros